Blog do Marcelo Lira

Blog do Marcelo Lira
Apenas minha OPINIÃO, todos tem o DIREITO de discordar dela, mas todos tem o DEVER de respeitá-la...

sexta-feira, 12 de julho de 2013

POLICIAIS E BOMBEIROS MILITARES PRESTIGIANDO E AUMENTANDO A CREDIBILIDADE DO BLOG DO MARCELO LIRA...

A postagem que o BLOG DO MARCELO LIRA fez no dia 9 de julho, expressando a opinião do seu editor sobre a participação dos guerreiros da Polícia Militar e Bombeiros nas manifestações para o fortalecimento da sua luta pela valorização salarial através da PEC 300 foi a mais a acessada da curta história deste humilde veículo de comunicação alternativo e totalmente amador.
Foram quase 10.000 acessos até agora e mais de 6.000 em menos de 24 horas.
Levando em consideração que este BLOG opta por não aderir à onda de baixaria, apelação e postagens compradas que assolam os blogs de Imperatriz, nem é adepto do vício do Ctrl+C/Ctrl+v que assola os que não sabem escrever e nem explora o trabalho de quem passa horas do seu dia em busca da notícia, são números impressionantes para quem não é jornalista, mas apenas um cidadão que não perdeu a capacidade de se indignar...
Não é de hoje que este BLOG se posiciona ao lado dos trabalhadores, foi assim com os professores do estado e o município, e também esteve do lado dos Policiais Militares em novembro e 2011 (VEJA).
Também não é de hoje que os policiais militares prestigiam este BLOG, em dezembro de 2011, fizemos duas postagens comentando a relação entre o Vereador Rildo Amaral e os guerreiros do 3° BPM, que também foram muito acessadas e comentadas. (PARTE 1 e PARTE 2)
Obrigado aos guerreiros da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militares, não só do Maranhão, mas de outros estados também, que nos prestigiaram...

FOTO: Antonio Pinheiro (via Facebook).

Veja a postagem:

POLICIAIS DEVERIAM CRUZAR OS BRAÇOS NO DIA (11/07/2013) DA PARALISAÇÃO NACIONAL, EM PROTESTO PELA NÃO APROVAÇÃO DA "PEC 300"...


16 comentários:

  1. ENQUANTO ISSO:



    Blog da Helena — Rede Brasil Atual
    -

    sexta-feira, 12 de julho de 2013
    Ação contra Aécio por ocultação de bens deverá ter parecer até agosto, diz Gurgel


    O senador Aécio Neves (PSDB-MG) deve ter em breve uma definição sobre a possibilidade de entrar na disputa eleitoral com o peso de uma investigação por suspeita de ocultação de patrimônio e sonegação fiscal sobre a cabeça. O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, afirmou nesta sexta-feira, 12, que "nos próximos dias" emitirá parecer sobre a representação feita contra Aécio e a irmã dele Andrea Neves.

    "Ainda não conclui esse exame. É uma questão que ainda está sendo examinada, mas haverá uma definição antes da conclusão do meu mandato, sem dúvida nenhuma", declarou Gurgel, cujo mandato termina no dia 15 de agosto, referindo-se à representação contra Aécio.

    O procurador-geral da República esteve nesta sexta-feira em Belo Horizonte para receber a Grande Medalha Presidente Juscelino Kubitschek, entregue pelo governador de Minas Gerais, Antônio Anastasia (PSDB), mas que foi concedida a Gurgel em 2009, ainda durante a gestão de Aécio na administração estadual.

    A representação contra o senador do PSDB de Minas Gerais foi apresentada à Procuradoria da República, em maio de 2011, por deputados que fazem oposição ao governo do Estado.

    A justificativa é de que Aécio declarou à Justiça Eleitoral um patrimônio de pouco mais de R$ 617 mil, mas foi flagrado numa batida policial da Lei Seca no Rio dirigindo um Land Rover. Aécio recusou-se a fazer o teste do bafômetro e contratou um taxista para dirigir o carro até a residência que mantém na capital fluminense.

    O automóvel, avaliado em mais de R$ 300 mil, estava em nome da Rádio Arco-Íris, retransmissora da Jovem Pan em Belo Horizonte que pertence ao senador do PSDB, a Andrea e à mãe deles, Inês Maria Neves Faria. De acordo com a Junta Comercial do Estado de Minas Gerais (Jucemg), a rádio tem capital social de R$ 200 mil. Mas a arco-íris tinha outros 11 carros na frota - pelo menos três importados. Aécio entrou na sociedade no fim de 2010, após deixar o governo de Minas Gerais e ser eleito para o Senado.

    O caso deflagrou uma briga interna no Ministério Público Estadual (MPE) de Minas. Depois de o então procurador-geral de Justiça do Estado, Alceu José Torres Marques, arquivar representação para verificar se a Arco-Íris, que era dirigida pela irmã de Aécio, recebia recursos do governo estadual durante a gestão dele - na qual ela presidia o grupo técnico de comunicação da gestão estadual - integrantes do bloco Minas Sem Censura, de oposição ao Poder Executivo, fizeram nova denúncia ao MPE.

    O promotor João Medeiros, da Promotoria de Defesa do Patrimônio Público, chegou a instaurar inquérito civil para apurar repasses publicitários do Executivo, mas Marques avocou o expediente e, novamente, arquivou a denúncia. O caso foi parar no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), que confirmou o arquivamento.(Informações MSN Notícias)

    ResponderExcluir
  2. Mensalão do PSDB , PARTIDO do PREFEITO MADEIRA deve ser julgado no começo de 2014, afirma Gurgel

    O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, afirmou nesta sexta-feira (12) que o julgamento do mensalão mineiro do PSDB , também chamado de valerioduto tucano do senador Azeredo, está demorando para entrar na pauta do STF (Supremo Tribunal Federal).

    Gurgel, contudo, disse acreditar que esse julgamento poderá acontecer no começo de 2014, tão logo seja concluído pelo STF o julgamento da ação 470, a do mensalão do PT.

    "Efetivamente já se passou muito tempo e é fundamental que esse julgamento ocorra com a maior brevidade possível", disse o procurador-geral, que deixará o cargo no próximo mês.

    Segundo Gurgel, o mensalão do PSDB é considerado pela Procuradoria e pela Polícia Federal o embrião do esquema usado depois pelo PT. Ele ocorreu em 1998, na tentativa de reeleição a governador de Minas do hoje deputado federal Eduardo Azeredo (PSDB), que tinha como candidato a vice o hoje senador Clésio Andrade (PMDB).No esquema do PSDB o operador era o empresário Marcos Valério Fernandes de Souza.

    São três ações sobre o mensalão do PSDB. Duas tramitam no STF, tendo como réus Azeredo e Clésio, que têm foro privilegiado. A outra, que tramita na Justiça mineira, tinha dez réus, mas o ex-ministro Walfrido dos Mares Guia (PSB) já se beneficiou da demora da Justiça e teve a acusação prescrita.

    A pena pelos crimes de peculato (usar cargo público para obter vantagem) e lavagem de dinheiro, pelos quais foi denunciado, prescreveu por ter completado 70 anos em novembro do ano passado. Ele sempre negou os crimes.

    Gurgel esteve na sede do governo de Minas, comandado pelo PSDB, para receber a Medalha JK concedida a ele em 2009, pelo então governador tucano Aécio Neves, atualmente senador. Na época, ele não pode comparecer. Ele almoçou com o governador Antonio Anastasia (PSDB).

    O procurador-geral tem sobre a sua mesa desde 2011 representação dos opositores de Aécio em Minas que pedem investigação sobre a irregularidade que o senador praticou ao não relacionar nos seus bens participação na rádio Arco-Íris, de BH. Aécio nega.

    Segundo Gurgel, apesar do "volume imenso" de trabalho do Ministério Público, só recentemente esse caso pode começar a ser examinado. Ele disse que essa análise será concluída "muito brevemente", antes de deixar o cargo.

    REPRESÁLIA

    Sobre o fato de o Senado não ter aprovado o procurador da República na Bahia Vladimir Aras para o Conselho Nacional do Ministério Público, Gurgel atribuiu isso à retaliação de "alguns parlamentares por terem sido alvos do Ministério Público". Segundo ele, a ação constitucional do órgão "desagrada a muitas pessoas".

    Apesar da derrubada da PEC (Proposta de Emenda Constitucional) 37 pelo Congresso --que restringia a ação do Ministério Público em investigações criminais--, Gurgel disse haver outras PECs em andamentos que "em última análise objetivam ou podar atribuições do Ministério Público ou, de alguma forma, fragilizar os seus membros".

    "Todas elas têm em essência a mesma natureza e devem ser rejeitadas, não ter êxito", disse. (Com informações da Folha)

    Entenda o mensalão do PSDB
    Relatório da Polícia Federal aponta o esquema em Minas, de 1998, quando Azeredo, era governador na época e hoje é deputado, como seu principal beneficiário. Segundo a investigação, pelo menos R$ 5,17 milhões, em valores da época, saiu de estatais mineiras para o esquema de arrecadação paralela de recursos da campanha de Azeredo, por meio da agência SMPB, do empresário Marcos Valério.
    Os desvios aconteceram por meio de cotas de patrocínio de eventos e publicidade fictícia. O senador Aécio Neves é citado em uma lista como sendo beneficiário de R$ 110 mil na campanha de 1998, quando era candidato a deputado federal.

    ResponderExcluir

  3. Blog da Helena — Rede Brasil Atual
    -

    sexta-feira, 12 de julho de 2013
    Ação contra Aécio, presidente do PSDB partido do PREFEITO MADEIRA ,por ocultação de bens deverá ter parecer até agosto, diz Gurgel


    O senador Aécio Neves (PSDB-MG) deve ter em breve uma definição sobre a possibilidade de entrar na disputa eleitoral com o peso de uma investigação por suspeita de ocultação de patrimônio e sonegação fiscal sobre a cabeça. O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, afirmou nesta sexta-feira, 12, que "nos próximos dias" emitirá parecer sobre a representação feita contra Aécio e a irmã dele Andrea Neves.

    "Ainda não conclui esse exame. É uma questão que ainda está sendo examinada, mas haverá uma definição antes da conclusão do meu mandato, sem dúvida nenhuma", declarou Gurgel, cujo mandato termina no dia 15 de agosto, referindo-se à representação contra Aécio.

    O procurador-geral da República esteve nesta sexta-feira em Belo Horizonte para receber a Grande Medalha Presidente Juscelino Kubitschek, entregue pelo governador de Minas Gerais, Antônio Anastasia (PSDB), mas que foi concedida a Gurgel em 2009, ainda durante a gestão de Aécio na administração estadual.

    A representação contra o senador do PSDB de Minas Gerais foi apresentada à Procuradoria da República, em maio de 2011, por deputados que fazem oposição ao governo do Estado.

    A justificativa é de que Aécio declarou à Justiça Eleitoral um patrimônio de pouco mais de R$ 617 mil, mas foi flagrado numa batida policial da Lei Seca no Rio dirigindo um Land Rover. Aécio recusou-se a fazer o teste do bafômetro e contratou um taxista para dirigir o carro até a residência que mantém na capital fluminense.

    O automóvel, avaliado em mais de R$ 300 mil, estava em nome da Rádio Arco-Íris, retransmissora da Jovem Pan em Belo Horizonte que pertence ao senador do PSDB, a Andrea e à mãe deles, Inês Maria Neves Faria. De acordo com a Junta Comercial do Estado de Minas Gerais (Jucemg), a rádio tem capital social de R$ 200 mil. Mas a arco-íris tinha outros 11 carros na frota - pelo menos três importados. Aécio entrou na sociedade no fim de 2010, após deixar o governo de Minas Gerais e ser eleito para o Senado.

    O caso deflagrou uma briga interna no Ministério Público Estadual (MPE) de Minas. Depois de o então procurador-geral de Justiça do Estado, Alceu José Torres Marques, arquivar representação para verificar se a Arco-Íris, que era dirigida pela irmã de Aécio, recebia recursos do governo estadual durante a gestão dele - na qual ela presidia o grupo técnico de comunicação da gestão estadual - integrantes do bloco Minas Sem Censura, de oposição ao Poder Executivo, fizeram nova denúncia ao MPE.

    O promotor João Medeiros, da Promotoria de Defesa do Patrimônio Público, chegou a instaurar inquérito civil para apurar repasses publicitários do Executivo, mas Marques avocou o expediente e, novamente, arquivou a denúncia. O caso foi parar no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), que confirmou o arquivamento.(Informações MSN Notícias)

    ResponderExcluir
  4. Mensalão do PSDB , PARTIDO DO PREFEITO MADEIRA ,deve ser julgado no começo de 2014, afirma Gurgel

    O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, afirmou nesta sexta-feira (12) que o julgamento do mensalão mineiro do PSDB , também chamado de valerioduto tucano do senador Azeredo, está demorando para entrar na pauta do STF (Supremo Tribunal Federal).

    Gurgel, contudo, disse acreditar que esse julgamento poderá acontecer no começo de 2014, tão logo seja concluído pelo STF o julgamento da ação 470, a do mensalão do PT.

    "Efetivamente já se passou muito tempo e é fundamental que esse julgamento ocorra com a maior brevidade possível", disse o procurador-geral, que deixará o cargo no próximo mês.

    Segundo Gurgel, o mensalão do PSDB é considerado pela Procuradoria e pela Polícia Federal o embrião do esquema usado depois pelo PT. Ele ocorreu em 1998, na tentativa de reeleição a governador de Minas do hoje deputado federal Eduardo Azeredo (PSDB), que tinha como candidato a vice o hoje senador Clésio Andrade (PMDB).No esquema do PSDB o operador era o empresário Marcos Valério Fernandes de Souza.

    São três ações sobre o mensalão do PSDB. Duas tramitam no STF, tendo como réus Azeredo e Clésio, que têm foro privilegiado. A outra, que tramita na Justiça mineira, tinha dez réus, mas o ex-ministro Walfrido dos Mares Guia (PSB) já se beneficiou da demora da Justiça e teve a acusação prescrita.

    A pena pelos crimes de peculato (usar cargo público para obter vantagem) e lavagem de dinheiro, pelos quais foi denunciado, prescreveu por ter completado 70 anos em novembro do ano passado. Ele sempre negou os crimes.

    Gurgel esteve na sede do governo de Minas, comandado pelo PSDB, para receber a Medalha JK concedida a ele em 2009, pelo então governador tucano Aécio Neves, atualmente senador. Na época, ele não pode comparecer. Ele almoçou com o governador Antonio Anastasia (PSDB).

    O procurador-geral tem sobre a sua mesa desde 2011 representação dos opositores de Aécio em Minas que pedem investigação sobre a irregularidade que o senador praticou ao não relacionar nos seus bens participação na rádio Arco-Íris, de BH. Aécio nega.

    Segundo Gurgel, apesar do "volume imenso" de trabalho do Ministério Público, só recentemente esse caso pode começar a ser examinado. Ele disse que essa análise será concluída "muito brevemente", antes de deixar o cargo.

    REPRESÁLIA

    Sobre o fato de o Senado não ter aprovado o procurador da República na Bahia Vladimir Aras para o Conselho Nacional do Ministério Público, Gurgel atribuiu isso à retaliação de "alguns parlamentares por terem sido alvos do Ministério Público". Segundo ele, a ação constitucional do órgão "desagrada a muitas pessoas".

    Apesar da derrubada da PEC (Proposta de Emenda Constitucional) 37 pelo Congresso --que restringia a ação do Ministério Público em investigações criminais--, Gurgel disse haver outras PECs em andamentos que "em última análise objetivam ou podar atribuições do Ministério Público ou, de alguma forma, fragilizar os seus membros".

    "Todas elas têm em essência a mesma natureza e devem ser rejeitadas, não ter êxito", disse. (Com informações da Folha)

    Entenda o mensalão do PSDB
    Relatório da Polícia Federal aponta o esquema em Minas, de 1998, quando Azeredo, era governador na época e hoje é deputado, como seu principal beneficiário. Segundo a investigação, pelo menos R$ 5,17 milhões, em valores da época, saiu de estatais mineiras para o esquema de arrecadação paralela de recursos da campanha de Azeredo, por meio da agência SMPB, do empresário Marcos Valério.
    Os desvios aconteceram por meio de cotas de patrocínio de eventos e publicidade fictícia. O senador Aécio Neves é citado em uma lista como sendo beneficiário de R$ 110 mil na campanha de 1998, quando era candidato a deputado federal.

    ResponderExcluir
  5. blog o tijolaço
    A sentença que condena a ladra da Globo condena o país do medo
    9 de Jul de 2013 | 10:38

    O jornalismo independente fez, com méritos e sacrifícios, a sua parte.

    Desde que, há duas semanas, O Cafezinho, blog de Miguel do Rosário, levantou o caso da sonegação de impostos da Rede Globo, estamos trabalhando sozinhos para descerrar o véu de silêncio e cumplicidade que se formou em torno de um escândalo que, em qualquer país do mundo, teria repercussão semelhante à que teve o caso Murdoch na Inglaterra.

    Qualquer país do mundo, menos o Brasil, onde todos se vergam ao poder imperial da Rede Globo.

    Onde estão os senhores deputados, os senhores senadores, a Polícia Federal, o Ministério Público do Dr. Roberto Gurgel, com todos os seus poderes garantidos pela derrota da PEC 37, pela qual fizeram tanto alarde?

    Onde está a imprensa brasileira, os profissionais que enchem a boca para falar que é o Estado e não o interesse patronal quem os quer censurar?

    Desapareceram, como o processo da Globo?

    Aí está o caso, nu e cru: uma funcionária da Receita Federal condenada por furtar um processo de sonegação de mais de R$ 600 milhões da mais importante empresa de comunicação do país.

    Agora estão explicados os sete anos no limbo do “em trânsito” com que o processo constava no protocolo da Receita.

    Aí está a resposta do “onde está o Darf?” que a Globo se negava a mostrar.

    Aí está a vergonha de um país onde o poder do Império é maior do que o da República e torna legítimo que uma empresa concessionária de serviços públicos corrompa com uns trocados uma servidora desonesta e, assim, faça sumir R$ 600 milhões de dinheiro que deveria estar nos cofres públicos, pagando a saúde, a educação, o transporte que este câncer da comunicação alardeia defender e mostra mocinhas de rosto sorridente a exibir o pedido, nos estádios de futebol.

    Todos têm medo.

    Quase todos.

    Nós, os blogueiros ditos “sujos”, não.

    E estamos entregando ao país os documentos que provam o que todos sabiam e só nós dissemos.

    Aí está, abaixo, a sentença.

    A esta altura, numa democracia, dezenas de jornais e emissoras de televisão estariam postadas à porta da casa da corrupta condenada e à porta da corruptora que a fez delinquir, com câmara e microfones ávidos por desvendar o caso até o fim.

    Aqui, não.

    Porque o Brasil será sempre uma subdemocracia enquanto a coluna de nossas instituições e de nossos homens públicos estiverem vergadas ao poder do Império.

    Enquanto frequentarem os seus camarotes em lugar de faze-los frequentar os tribunais, pelos crimes que cometem.

    Derrubamos a Ditadura, é certo. Mas não o Império.

    Ainda não somos uma República, portanto, onde todos somos iguais perante a lei.

    ResponderExcluir
  6. Jose-Arlindo S. DeSouza · UFMG
    Acho que seria o caso de todos nós fazermos valer a LAI - Lei de Acesso à Informação e acionar as Ouvidorias de todos os órgãos envolvidos com essa história e exigir que respondessem a esses questionamentos. Eu já pedi informações às Ouvidorias do Ministério da Fazenda, da CGU e do Ministério Público. Segundo a lei eles tem 20 dias para me responder.

    ResponderExcluir
  7. BOM DIA MARCELO LIRA, QUANDO VER O JUSTINHO FILHO AVISA PARA ELE POR A OPÇÃO "ANÔNIMO" , NA HORA DE PUBLICAR OS NOSSOS COMENTÁRIOS.

    PORQUE DO QUE HÁ DE FUNCIONÁRIOS QUE VIVE DENTRO DESSAS SECRETARIAS QUE VEEM A OLHO NU OS PODRE DESSES SECRETÁRIOS.

    DIGO ISSO PORQUE VOCÊ SABE, QUE NÃO VIVEMOS EM UMA REAL DEMOCRACIA DE IMPRENSA.

    O MAIOR EXEMPLO ESTAR AI , A REDE GLOBO, ESTAR CALANDO O SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA, CADÊ OS JUÍZES ?

    CADÊ O JOAQUIM BARBOSA ( COM O SEU FAÇO MORALISTA)

    CADÊ O MINISTÉRIO PUBLICO?

    CADÊ A CGU?

    A GLOBO TORNA ESSES ÓRGÃO TODOS EM CORRUPTOS.

    O GIGANTE BRASIL PARECE QUE VOLTOU A ADORMECER.

    O POVO PEDIU E A DILMA RESPONDEU :

    MAS A OPOSIÇÃO COMANDADA POR AÉCIO NEVES, JOSÉ

    CERRA, GERALDO ALQUIMIM, O PARTIDO DEM, PPS E

    OUTROS,ALGUNS TRAIRÁS DO PMDB ESTÃO IMPEDINDO QUE

    O POVO SEJA BENEFICIADO COM OS ROYALTY (DINHEIRO )

    PARA A EDUCAÇÃO E SAÚDE.







    ResponderExcluir
  8. Corrupta da Receita condenada por sumir com processo da Rede Globo
    9 de Jul de 2013 | 01:22

    Apareceu quem desapareceu com o processo de sonegação fiscal da Rede Globo na compra dos direitos de transmissão da Copa de 2002.

    É Cristina Maris Meinick Ribeiro, “brasileira, agente administrativo da Receita Federal, matrícula n.º 16.553, inscrita no CPF sob o n.º 507.264.717-04, ” que a Justiça considerou ” incursa nas sanções do art. 305 e 313-A, por 3 (três) vezes, na forma do art. 69, todos do Código Penal Brasileiro”.


    Desse modo, a denunciada Cristina Maris Meinick Ribeiro estaria incursa nas sanções do art. 313-A do Código Penal, por 3 (três) vezes e nas do art. 305 do Código Penal uma vez.

    Termo de acautelamento do CD e DVD relativos às imagens de vídeo mencionadas na denúncia (fls. 51).
    A denunciada Cristina Maris Meinick Ribeiro foi notificada para o oferecimento de defesa, na forma do art. 514 do CPP (fls. 36), ocasião em que foi decretada sua prisão preventiva requerida pelo MPF às fls. 22/29.
    Às fls. 143 termo de entrega de cópia do CD e do DVD acautelado em juízo à defesa da acusada em cumprimento ao despacho de fls. 141.


    Em memoriais, o Ministério Público Federal aduz que os ilícitos penais perpetrados pela ré restaram cabalmente comprovados pela farta prova documental adunada aos autos. Em síntese, aduz que, em relação ao processo fiscal nº 18741.000858/2006/97 e seu apenso nº 18471.001126/2006-14, instaurado em desfavor da GLOBOPAR, restou claro que a ré os ocultou, com o evidente propósito de obstar o desdobramento da ação fiscal que nele se desenvolvia, cujo montante ultrapassava 600 milhões de reais.

    Aduz, ainda, que a servidora compareceu no setor processual da Receita Federal no dia 02.01.2007, a despeito de estar em período de férias, oportunidade em que foi capturada pelas câmeras de segurança da Receita Federal, restando inconteste que a servidora adentrara o prédio com uma bolsa e voltara portando os processos acima referidos (fls. 301/316), o que foi corroborado pelo depoimento das testemunhas Elcio Luiz Pedroza, Célia Regina Andrade Ribeiro, Neuza Vasconcellos Ramos e Simone de Bem Barbosa Torres, todos auditores fiscais da Receita Federal, os quais confirmaram que foi a acusada quem apareceu no vídeo de fls. 301/16, carregando uma bolsa com volume considerável, no mesmo dia em que sumiram os autos físicos do processo administrativo em questão, qual seja, 02.01.2007.

    Ou seja, o processo da Globo “sumiu” apenas três dias depois de ter entrado “em trânsito”, segundo atesta a documentação obtida por Miguel do Rosário, de O Cafezinho.
    .

    A dona Cristina Maris certamente não surrupiou o processo de “mais de 600 milhões” porque gosta das novelas da Globo.

    O Juiz foi inapelável:

    “Consoante a denúncia, a ré Cristina Maris Meinick Ribeiro, de forma livre e consciente, valendo-se da qualidade de servidora da Receita Federal, no dia 02 de janeiro de 2007, ocultou, em prejuízo da Administração Pública Federal, documentos públicos constantes do processo administrativo nº 18471.000858/2006/97 (com dois volumes) e seu apenso nº 18471.001126/2006-14, que versavam sobre ação fiscal em face da GLOBOPAR cujos valores ultrapassam R$ 600.000.000,00 (seiscentos milhões de reais).



    A última movimentação do processo em tela se deu no dia 29.12.2006, onde foi informado o julgamento procedente e o respectivo lançamento em face da empresa GLOBOPAR, tendo sido feita a emissão da RM (Relação de Movimentação) em 02.01.2007 para entrega aos diversos setores de destino, sendo que os processos são entregues na DIPOL. A RM de fls. 27 onde consta a relação dos referidos processos extraviados contém carimbo do setor com a respectiva rubrica a qual não foi reconhecida por nenhum servidor daquele setor.”

    D. Cristina está solta, porque o ministro Gilmar Mendes, do Supremo – logo ele! – deu-lhe um habeas corpus.

    A Polícia e o Ministério Público tem de averiguar quem pagou para ela fazer isso.

    http://www.tijolaco.com.br/index.php/corrupta-da-receita-condenada-por-sumir-com-processo-da-rede-globo/

    ResponderExcluir
  9. edir disse...

    Esse é o final do "bom" trabalho do Gurgel na Procuradoreia. Ele quer deixar a cama de Aécio feita, pois näo sabe quem será o próximo procurador. O Aécio quer o Gurgel neste caso para enviar para arquivamento. Essa é a verdade. È jogo duplo. O Gurgel livra Aécio e receberá por fora uma boa comissäo, um envelope bem recheado de dólares do Aécio/PSDB/DEM para Gurgel em agradecimento pelo arquivamento do processo.

    ResponderExcluir
  10. lidia virni disse...

    Quando armaram o julgamento do mensalão foram rápidos e certeiros, dispensando tudo o que um processo judiciário honesto requer: provas, ampla defesa,sigilo durante o processo e outros preceitos. Já para julgar crimes provados, documentados, com testemunhas, etc.., seguem o exemplo nada elogiável de um conhecido prevaricador e engavetador da República. Pena o povo não ter discernimento para avaliar os fatos e o PT não se esforçar por tornar público o imbroglio, ou ao menos por ter um canal de comunicaçao abrangente.

    ResponderExcluir
  11. Garcia disse...

    Julgar em 2014 O MENSALÃO DO PARTIDO DO MADEIRA,é mais um capitulo do golpe que se pôs em marcha desde as eleição do presidente Lula e se acentuou na gestão da presidenta Dilma.

    O julgamento é em 2014 porque o golpe do mensalão não deu certo, então vão querer dizer o pessoa da tribo dos bicudos são honestissimos.

    Agora se os militantes de esquerda botar pressão e mostrar o que vem acontecendo, pode ser que saia algum coelho da cartola. Senão a vaca vai pro brejo.

    Esquerdistas acordem 2014 está aí. Enviem e-mails falando das mazelas que irá acontecer durante este julgamento já resolvido em favor do réu. Ou alguém tem duvidas quanto a isto.

    ResponderExcluir
  12. pessoal temos que tomar cuidado, o brasil não pode voltar ao atraso da era do fhc, principalmente nas mão DESSE CHEIRADOR DE PÓ E DITADOR DE MINAS GERAIS

    Gente näo se iluda, näo acontecerá nada com o Aécio, pois nosso procurador e o nosso Presidente do STF tem fortes colares com o PSDB de MG. È de chorar, ver nossa justica metida até o nariz com esses bandidos travestidos de políticos.

    ResponderExcluir

  13. Olhe bem... o Aécio levou o Joaquim para Minas e deu o colar a ele, apresentou o Hulk e o Joaquim ganhou um cargo na Globo para o filho. O mensalão do PSDB não anda nem de muleta no STF. Agora, o Aécio leva o Gurgel para Minas e dá o tal colar para ele. Dou um doce para quem adivinhar o que o Gurgel vai dizer no inquérito do Aécio. Acho que aquele colar é mágico.

    FORA AÉRCIO NEVER E MADEIRA

    ResponderExcluir
  14. Lula, se essa Ação fosse contra você ou contra o PT, certamente que já estaria nas mãos do moleque travesso do STF OU SEJA DO JOAQUIM BARBOSA OU BABÃO DO PIG, DA REDEGLOGO E DO PSDB

    NUNCA AO AÉRCIAO , NUNCA

    FORA MADEIRA FORA AÉCIO RAPARIGUEIRO DE BUSIOS

    ResponderExcluir
  15. EMPRESA DE ESPIONAGEM TINHA PARCERIA COM PSDB O PARTIDO DO PREFEITO MADEIRA , AÉCIO NEVES FERNANDO HENRIQUE

    Contratada no governo FHC, Booz-Allen já operava como gabinete paralelo da comunidade da informação dos EUA
    No portfólio da Booz-Allen, estão algumas das áreas em que a empresa atuou e que, a partir de agora, dadas as acusações de espionagem, estão sob suspeita. As "reformas governamentais" dos anos 1990 aparecem em destaque. A empresa orientou a reforma do sistema eleitoral do México e a privatização de empresas em diferentes países, incluindo os setores de bancos, energia, siderurgia e telecomunicações no Brasil.

    CARTA MAIOR

    ResponderExcluir
  16. INFORMAÇÕES QUE A REDE GLOBO NÃO MOSTRA, PARA ENCOBRIR O PODRE DOS SEUS CANDIDATOS.

    Empresa do espião Snowden foi consultora-mor do governo FHC
    No governo de Fernando Henrique Cardoso, a Booz-Allen, na qual trabalhava o espião Edward Snowden, foi responsável por consultorias estratégicas contratadas pela esfera federal. Incluem-se aí o "Brasil em Ação" (primeiro governo FHC) e o "Avança Brasil" (segundo governo FHC), entre outras, como as dos programas de privatização (saneamento foi uma delas) e a da reestruturação do sistema financeiro nacional.

    CARTA MAIOR

    ResponderExcluir

PENSO, LOGO EXISTO (René Descartes)...

PENSO, LOGO EXISTO (René Descartes)...

Seguem esse blog: